Infantil

O desenvolvimento precoce do bebê

René Spitz elaborou técnicas de observação direta de bebês (filmes e testes) em estudos longitudinais usando métodos de psicologia experimental, pesquisas, estudos em berçários e creches. Spitz enfatiza que a partir do segundo mês o bebê percebe de modo mais diferenciado o rosto materno. Por volta do sexto mês acontece a integração da memória, da imagem materna, com influência de um ego em evolução, o que aumenta a ligação afetiva com a figura materna.

Organizadores Psíquicos do bebê segundo René Spitz

O primeiro organizador psíquico é a aparição do sorriso como base das relações sociais, o que caracteriza uma reação de comportamento, uma comunicação da dupla mãe-bebê. Desta relação surgem os primeiros processos de pensamento, as experiências afetivas do bebê através dos traços mecânicos que fazem surgir os primeiros processos de pensamento: prazer ? sorrir / desprazer ? chorar.

O segundo organizador psíquico é o aparecimento do medo de estranhos, o que acontece em torno do oitavo mês. Percebe-se a primeira ansiedade propriamente dita. A criança chora, reage e recusa ao contato com um estranho, estranha a face da pessoa e sente-se privada do contato com a sua mãe.

O terceiro organizador psíquico é o início da comunicação verbal ? a fala. É o domínio do uso da palavra não pelo bebê. É o primeiro conceito abstrato adquirido. É a primeira expressão simbólica.