Autismo e Aspeger

Síndrome de Aspeger

Parte 2

A pessoa com Síndrome de Aspeger tem um perfil de desempenho não linear; evidencia excelentes desempenhos em áreas da lógica e estruturação e da imaginação concreta. Porém, dificuldades significativas na imaginação emocional e nas trocas relacionais.

O comportamento estranho bizarro pode ser explicado como uma resposta do sujeito, causada por uma situação vivenciada que não foi totalmente compreendida. Situações diárias que podem ser sentidas como perigosas, de CAOS. O não entendimento da vivência por problemas de comunicação, por alterações perceptuais, gera alto nível de ansiedade que é traduzido numa conduta bizarra.

O meio social e sua demanda de exigências e códigos implícitos nas relações diárias não é claro para portadores da Síndrome de Aspeger. As limitações na interação social advém, em parte, pelo não entendimento da conduta não verbal, do olhar, do sorrir, da expressão facial, da postura corporal, dos movimentos gestuais e são acrescidas pelo fato de usar as mensagens da linguagem verbal ao pé da letra, não entendendo o sentido figurado.

A manutenção de uma conversa é difícil para a pessoa com Síndrome de Asperger devido à inabilidade em dar continuidade ao assunto, à perspectiva do interlocutor, ao equilíbrio entre quem fala e o outro que ouve, às expressões não verbais, linguagem corporal, e à entonação da voz e ao olhar.

Autora: Celiane Secunho